quarta-feira, 4 de julho de 2007

III - O contador de contos

Tardes me aguardam...
tardes longas sem fim
o amarelo, o laranja
o vermelho do pomar
hão de ser cores de mim
nesse momento de dormência
latência, calma, paz
de tardes laranja sem fim
que mancha a tela
corpo, carne do meu desejo
fresta aberta na mente
reflexo dos olhos de criança
que hei de fazer meus
para tirar do negro, cinza
as mais ternas cores
a mais sublime fantasia
e mentir ao mundo minha dor
toda vez que o sol chegar
no meu rosto o laranja, o vermelho
mentirei ao mundo minhas tardes sem fim
pra que se torne verdade
que ao menos pareça ser verdade
que em vida fui feliz...

Um comentário:

::.roxanne.:: disse...

oiiiiii....mto bom o q tem escrito!!
voltei a postar no meu blog..dah uma passada lah...
bjaum...